Arquivo de Março, 2007

23
Mar
07

Apathia – Unwrap the Obvious

apathia.jpg

23
Mar
07

Medo e Coragem

Achei que podia partilhar este pensamento, embora não seja de ninguém, ou melhor, de ninguém em especial, pois é meu e eu sou alguém, embora não especial…enfim. No meio do trânsito, do pára-arranca da praxe, surgiu-me este pensamento (o que nos acontece no trânsito!!!!)…

A coragem não é a ausência de medo; muito pelo contrário. Só existe coragem porque existe medo e o medo resulta da tomada de consciência do risco e dos nossos limites. A coragem é só a ousadia de nos excedermos. Por isso eu designaria a coragem como o resíduo da racionalidade.

IM

19
Mar
07

//Na realidade o que esta correcto??

Andamos às voltas neste mundo…
À procura de sempre mais…
E fugimos da realidade crua e bruta…
Onde a miséria e o sofrimento alastram…
E iludimos-nos com dogmas sem sentido…
Que nos cegam o espirito….
E nos atormentam a mente…
Porque o corpo esse, já não se sente…
Ai se o mundo fosse perfeito…
Aquele que trago no peito…
Tanta guerra, tanta morte…
É assim a lei do mais forte…
Indiferentes tornarmos nós…
A este mundo que é uma nóz…
Não chegamos ao nosso semelhante…
Mas a marte foi num instante…
Percorremos toda uma vida…
Sem saber se a morte é uma saída…
Ai se o mundo fosse perfeito…
Aquele que trago no peito…
Insensivel a qualquer dor e imune ao amor…
E tudo o que existe é uma magna mentira?…
Ai se o mundo fosse perfeito…

Cátia 10ºb

15
Mar
07

Serão os humildes fracos e inseguros e os orgulhoses fortes? A humildade é mesmo sinal de fraqueza?

(frase postada a pedido de mariana 10 H)

by:Daniela Ferreira

11
Mar
07

Amor. . .Simples Sentimento?

” Se nos tirarem o Coração e Nos colocarem outro, deixamos de Amar e de Gostar quem amamos, quem gostamos? ” Uma personagem colocou esta pergunta. A resposta é obviamente negativa, pois tudo o que sentimos, vem do nosso cérebro;então por que é que nos ensinaram a não magoar o coração do outro?

Ultimamente, em tudo o que faço, o Amor, o tema amor tem marcado presença; na escola (Poesia Camoniana), na catequese, entre amigos. . . Dentro de Mim mesma. Será que é um sinal que o Amor está a nascer? Ou é simplesmente uma pista, que eu devo seguir e reflectir para não me iludir?
Respostas? Não sei. . . Certezas? Muito Poucas. Medo? Bastante.

Medo de quê? Do próprio Amor… Dizem que ” O amor é segredo, o espantoso segredo da beleza verdadeira”, mas também é o espantoso segredo da tristeza. Se amamos, se gostamos, servimos o outro, tratamos o outro como ser único, por muito infantil que ele seja. Tudo me confunde, tudo me faz surgir dúvidas; tenho medo que isto seja uma pura crise de adolescência, mas se assim fosse, não mexia tanto comigo desde há tanto tempo.
O certo é que quando estou junto dele, sinto-me bem. Isso é amor? Pois, não sei.
Parece tão estúpido. Há tempos diziam-me que eu era fria em relação ao amor; ele também é para comigo. Eu cá não gosto muito de filmes românticos, de romances, mas gosto de sentir e de ver as outras pessoas apaixonadas.

Eu acho que o problema é a maneira como as pessoas hoje em dia tratam o Amor. Quem já disse nos olhos de uma pessoa, o quanto amava, sabe que custa muito(ou não) e tem de ser mesmo sentido para sair; mas ultimamente dizem isso sem pensar, sem sentir. Brincam simplesmente com o Amor. Talvez seja este o meu medo. O desrespeito que há perante um sentimento puro. Aos 16anos, muitos ” meninos” e “meninas” pensam que Amor passa acima de tudo pela entrega física, e eu não concordo. Para isso acontecer é preciso conhecer o corpo do outro, respeitá-lo como se fosse o seu, ou seja, Amá-lo; mas, hoje em dia, quem é que aos 16anos percebe isto? Quem é que reflecte sobre isto? Muito pouca boa gente.
Às vezes ouvimos um Não, de quem amamos, e sabe tão mal. Mas quando sentimos o seu toque, o seu olhar, o seu sorriso, o seu beijo, sabe Tão Bem.

Tudo gira cá dentro. A minha voz interior bem fala comigo, mas só me confude. Será que não estou agir dentro daquilo em que acredito?
O certo é que os dias passam, e os momentos ficam marcados e se o amor nos torna mais belos, eu sinto-me mais Gira : ) .

Desculpem pelo desabafo.

Beijo.
A.Margarida

08
Mar
07

A critica como ela é…

« A ONU resolveu fazer uma pesquiza a nível Mundial para um estudo acerca da fome e para tal colocou uma questão para conhecer as posições dos diferentes países/culturas.
A questão era:
Por favor, digam hosnestamente, qual a vossa opinião sobre a escassez de alimentos no resto do Mundo”
O resultado foi um fracasso! Os paises do Norte Europeu não entenderam o que é “escassez” ; Os paises africanos não sabiam o que eram “alimentos” ; Os espanhois desconheciam o signficado de “por favor” ; Os norte-americanos perguntaram o significado de “resto do Mundo” ; Os cubanos pediram um exemplo sobre “opinião” ; E, finalmente, o Parlamento Português encontra-se a debater o que significa “diga honestamente” »

Pois é, como uma simples questão poderia causar tanta duvida!
A ironia caracteriza-se pela dura critica, utilizando uma forma implacavel de atingir os que pretende através da troça, do gozo.
Gostei da maneira realista como a “anedota” está elaborada e achei interessante expô-la, já que se fala imenso em Direitos Humanos, ajuda internacional, voluntariado, solidariedade…

Beijinho,
Luísa Pinto…

01
Mar
07

“Muito sabe quem conhece a própria ignorância”.

li esta frase num texto algures… e gostei da frase

BY:Daniela Ferreira