Arquivo de Junho, 2010

04
Jun
10

De nó na garganta

Não chorei na hora. Tive aquele nó a ameaçar, mas consegui controlar. Não sou de lágrima fácil, fico a sentir lá dentro, mas hoje foi muito difícil. Acabei por não conseguir conter as lágrimas mal saí da sala para atender a encarregada de educação. Por motivos vários, fiquei “presa” a esta turma…conquistaram-me por completo. Muita empatia, muita sintonia. Vontade de aprender e trabalhar. Vontade de se ser maior e melhor. As aulas passavam (para mim a voar); o cansaço desaparecia. Houve sempre tempo para brincar, para rir, para trabalhar. Sei que exigi, mas exigi o que podiam dar e exigi o que dei primeiro. Um conjunto humano muito especial, este 11ºB. Há turmas assim…de vez em quando, num percurso de um professor, aparece uma turma que faz com que tudo valha a pena. Tenho tido a sorte de ter turmas destas com frequência…das que deixam saudades; das que nos marcam. Todos e cada um deles ficou tatuado nos meus dias…ficou uma palavra, um sentir que, para sempre, estarão associados a cada um:
à Adriana, a impetuosidade;
ao Alex, a postura;
à Ana, a ordem;
à Catarina Correia, as perguntas;
à Catarina Oliveira, a distância;
à Cláudia, a força;
ao Daniel Almeida, a inconstância;
ao Daniel Canedo, a imperturbabilidade;
ao Fábio, a serenidade;
à Joana,a curiosidade;
ao João Pedro, a consciência;
ao Quinzé, a frontalidade;
ao Luís, a perspicácia;
à Marta, o equilíbrio;
ao Pedro, a determinação;
à Raquel, a maturidade;
ao Ricardo, a simpatia;
à Sara Pardilhó, a sinceridade;
à Sara Silva, a timidez;
à Sarah, a sensibilidade;
à Susana Tavares, a vivacidade;
à Susana Dias, a inquietação;
à Tânia, a procura.

E assim ficam todos….nem que seja tatuados com estas palavras que deixaram em mim. A todos estes miúdos fabulosos um beijinho do tamanho do mundo. Quis que todo o universo ficasse a saber disto.
Isabel Maia

Anúncios