24
Set
10

Para quem chega agora à Filosofia…

(este é um post de boas-vindas aos alunos do 10ºano…dirijo-me em paticular aos “meus”, 10ºA, mas é dedicado a todos)
Pensar é um desafio. É algo que, em determinadas circunstâncias, apenas parece complicar-nos a vida e rodear-nos de problemas em relação aos quais nos julgávamos imunes, ou dos quais nos considerávamos distantes. Mas se virmos bem, tudo isso já lá estava…esses problemas sempre existiram, já nos rodeavam, nos cercavam, mas apenas eram “invisíveis” para nós. SEMPRE lá estiveram. Pensar, reflectir efectivamente sobre as coisas, lança-nos numa espécie de viagem sem retorno. Não mais ficamos os mesmos. Não mais retornamos aos espaços habituais. Ficamos diferentes. Ficamos, sobretudo, mais conscientes, melhores seres humanos.
Depois de mergulhar nessa aventura que é pensar, tudo aquilo que tínhamos como certo, como evidente, sob o nosso controlo, deixa de o ser. O curioso é que isso não nos entristece!!!! Muito pelo contrário, sentimo-nos mais vivos do que nunca, mais dispostos a lutar por aquilo em que acreditamos, com uma visão mais ampla e mais humana das coisas e do mundo.
Pensar abre-nos perspectivas imensas e confere-nos a possibilidade de decidir.
Pensar, devolve-nos as asas que sempre tivémos, mas não sabíamos possuir, ou não sabíamos como usar.
Como em todas as aventuras, há obstáculos, imprevistos, momentos difíceis. Mas também, como em todas as aventuras, algo de inesquecível se constrói e algo muda definitivamente.

Anúncios

14 Responses to “Para quem chega agora à Filosofia…”


  1. 1 Adriana Correia 10ºA
    Setembro 24, 10 às 9:08 pm

    Olá professora !!
    A sua maneira de escrever impressionou-me. Eu estava à espera que escrevesse bem, mas não assim. Acho que a maneira como compõe um texto é clara, enriquecedora e harmoniosa. Adorei, mesmo.

    Obrigado por nos ter escrito (dedicado) um post !!

    • 2 IM
      Setembro 25, 10 às 2:09 pm

      Olá, Adriana!
      Muito obrigada pelas tuas palavras!!! Foi um post simples que alinhavei ontem, na biblioteca, mesmo antes da nossa aula. É um convite à Filosofia, porque tal como o J. Gaarder, no texto que analisámos na aula, eu não quero que vocês pertençam à categoria dos “apáticos e indiferentes”!!!!
      Mas se gostas de ler estas coisas, espreita no meu bloguezito…tem para lá muuuuuiiiitos posts sobre Filosofia e muitas coisas que me vão na alma!!
      (www.pensar-im.blogspot.com)

  2. 3 Mariana Baptista , 10ºA 2010|2011
    Setembro 24, 10 às 9:36 pm

    depois arranje-me o seu blogue por favor 😀 ,
    – fiquei com muita vontade de ler depois destes post’s prof. ,
    beijinhos ,

    • 4 IM
      Setembro 25, 10 às 2:10 pm

      Já o dei acima, na resposta à Adrina, mas basta clicares em cima de IM, junto à aranha, no meu comentário, e vais para lá directamente!
      beijinhos.

  3. 5 Raquel 12ºD
    Setembro 25, 10 às 6:59 pm

    Ai as saudades k não dá dpois de ler isto, pk não puder ter mais um ano de filosofia. Acho k mais um ano e estariamos mesmo no “ponto”. Isto só dá vontade de me disfarçar numa aluna de 10 ano pra puder voltar a ter filosofia, debater os mais diversos assuntos e deixar me levar pela sua forma tão cativante e maravilhosa de dar aulas. . .
    beijinhos

    • 6 IM
      Setembro 25, 10 às 7:52 pm

      Ó Raquel, a porta está sempre aberta!!!! fico tããooo feliz com as tuas palavras!!! Bem sabes como me custou que estes dois anos acabassem…construiu-se tanta coisa naquelas aulas!!! Às vezes pergunto-mr se voltarei a ter alunos assim!!! Já vi este ano que tenho alguns muito despertos e espero ser capaz de os “agarrar” para a disciplina e fazer da aula um espaço como nós tínhamos!!! Sabes que isso depende sempre de dois pólos…
      Quanto ao ano que dizes,acho que tens razão…já muitos alunos me disseram o mesmo…acho que sim…mais um ano e, com a maturidade que já ganharam, a Filosofia seria o espaço ideial…infelizmente, o ministério considera que no 12º, só alunos de Humanidades podem ter Filosofia…

  4. 7 catarina isabel, 10ºA 2010/11
    Setembro 25, 10 às 7:19 pm

    “pensar”?- que palavra tão abstracta e sem qualquer designação.
    – “pensar” é tão simples como complicado, tão certo como errado, tão livre como preso e tão feliz como triste.
    Eu aprendi a pensar de todas as maneiras possiveís. Aprendi principalmente a criticar no bom sentido. E liberto-me em cada instante do meu pensamento e ganho asas para escutar a minha alma.
    Sonho, penso, reago ao mundo de forma discreta e aberta. Tudo isto faz-me bem, embora dóa sem querermos que isso aconteca, por vezes.
    Então aí penso todos os segundos: “será que pensar abre meio mundo?”
    todos os dias penso: “o meu raciocínio ajuda-me a ser feliz?”
    todas as semanas penso: ” a vida prolonga-se com os nossos pensamentos?”
    e todos os anos penso: ” já foi um ano passado e soube cuidar devidamente bem dos meus pensamentos? ”
    e mesmo agora digo que o verbo pensar, não é somente o avivar da nossa memória, mas o viver de toda a nossa época passada e futura.
    pensar – é um bom principio para fazer de nós, pessoas melhores no dia-a-dia.
    Com toda a minha certeza, pensar é definitivamente sentir-nos nós próprios.
    Por isso, penso de todas as formas e feitios, mesmo que seja fácil ou dificil, mesmo que nos intristeça ou nos faça feliz – EU PENSO, e com isso ajudo os outros quando necessitam e não exito em estender a mão quando o dever me chama!

    Para finalizar tudo isto, essas suas palavras professora, parecem mágicas e só tenho de lhe dar os parabéns por escrever tão bem como o que escreveu aqui, neste simples texto tão completo.
    Beijinhos .

    • 8 IM
      Setembro 25, 10 às 7:58 pm

      OLá, Catarina!!!!
      Fico agradavelmente surpreendida!!! Não é tão comum como eu gostaria que os meus alunos tivessem esse hábito de pensar, sobretudo o acto de reflectir, de avaliar as suas escolhas, de ponderar os seus caminhos. Que bom!! Isso é não só uma mais-valia para a tua vida,como para a disciplina!! Tens tudo para avançar! Força!! Nunca percas essa capacidade de te perguntares, de olhar para as coisas e sentir que nunca as vistes desso modo!
      Muito obrigada pelas tuas palavras!!!
      Beijinhos.
      (podes aproveitar este espaço para “pensares alto”…colocares questões, inquietações, partilhares sonhos e dificuldades!!!)

  5. 9 Sarah Oliveira
    Setembro 25, 10 às 8:19 pm

    Tenha inveja dessa turma… 🙂
    Quando na primeira aula de filosofia a professora perguntou se tínhamos a certeza que a parede da sala 36 era amarela, eu pensei… bem, a mulher deve estar louca… é óbvio que a parede é amarela. É irónico, mas é verdade. Como a professora nos ensinou, as expectativas condicionam a visão das coisas. No inicio estava complicado encarar a Filosofia, livrar-me daquela ideia pré-concebida, entender qual o seu interesse e a utilidade de filosofar. Depois destes dois anos, sinto que a filosofia me faz falta. Sinto uma certa nostalgia, uma saudade de passarmos horas a conversar, a questionar a professora sobre tudo e mais alguma coisa, a perceber o sentido da vida, da nossa existência. Aprendi que afinal, uma parede amarela pode não ser amarela, que o que aparentemente é óbvio pode não ser tão óbvio, que tudo depende da nossa percepção da realidade (as famosas aulas das coisas imaginárias… a Susana andava desejosa por saber o que eram essas coisas que a professora trazia sempre consigo =P). Nestes dois anos a professora mostrou-nos o que é ser diferente e a assumir essa diferença com coragem e orgulho.
    E sim, desejava voltar ao 10º ano, começar tudo de novo e ter mais aulas de filosofia, porque esta “devolve-nos as asas que sempre tivemos, mas não sabíamos possuir, ou não sabíamos como usar.” Mas, como isso não é possível, oxalá que chegue terça para nos reencontrarmos todos outra vez. =)
    Um beijinho grande e até terça 🙂

    • 10 IM
      Setembro 25, 10 às 8:57 pm

      Eh, Sarinha!!! Estás “aqui”!!!!:-)
      É tão bom saber que pensas assim, que sentes tudo isso!!!
      Imagino perfeitamente o que devem ter pensado de mim nessa 1ª aula…ehehehhe…se a parede é amarela…eheheheheh…e as coisas que não existem que eu levei para a aula!!!! eeehhehehehe…Que engraçado…são coisas que ficam , não é??? E é como digo: missão cumprida. Sinto-me feliz!!! Ficaria triste e desiludida se apenas tivessen chegado ao fim destes dois anos cheios de teorias na cabeça, sem terem aprendido a pensar!!!! Agora já podes ajudar os colegas do 10º ano a lidar com o “impacto” inicial!!!
      E sim, 3ª lá estamos!!! Ou ouvir dizer que vão encher uma camioneta!!! ehehehehehhe
      😉
      Beijinhos com muuuuiiitas saudades!
      (sim, as tuas colegas ainda vou vendo, mas a ti…nada…:-(

  6. 11 Sandra Assunção
    Setembro 29, 10 às 3:45 pm

    Sem dúvida, umas óptimas boas-vindas aos novos alunos! Espero que eles saibam aproveitar bem estes dois (curtos) anos de Filosofia que têm pela frente. Também sou da opinião que a disciplina devia continuar no 12ºano. Mas, pronto, temos de levar com AP (nada contra a nossa querida professora [ela deve estar a adorar tanto quanto nós eheh], que só faz o que lhe compete).
    Beijinhos

  7. 12 catarina isabel, 10ºA 2010/11
    Outubro 4, 10 às 11:17 pm

    Olá, professora!!
    estava aqui eu a pensar agora no mesmo em que pensei quando li isto aqui- tudo se resume ao pensar! Sem pensamento, não há opiniões, nem sequer uma vida tranquila de seres humanos sentidos neles próprios.
    Uma questão surpreendivelmente brilhante para exercitar a nossa mente e até mesmo o nosso corpo! Uma questão com infinitas respostas abertas sem qualquer tipo de chaves.
    Uma questão verdadeiramente magnifica! verdadeiramente dupla.
    Continuo a sonhar, a ler as minhas fontes – a viver sorridente para o mundo . mas transparecendo por vezes uma dor bem amargurada dentro de mim, dentro da minha cabeça.
    Sou sensível e tenho o toque muito apurado à realidade. Sou pensativa em tudo o que acontece e que estará para acontecer.
    E hoje fiquei com isto: ‘aqui e ali? mas onde é que foram buscar este tipo de palavras? 😮 ‘
    Sinceramente, sabe o que acho? Que tudo não aparece por um acaso e nós, seres humanos, sabemos muito menos da vida do que nós suspeitávamos!
    Olhando bem o mundo e o aspecto exterior que vejo ao meu redor, acho que é tudo estranho, tocável, mas há sempre um mas no meio disto tudo ! É certo que o que vejo é-me familiar, mas no entanto não passam de objectos, em que a maior parte não contém tanto significado como contém um sentimento sincero de outro ser ! Hoje, vejo tudo a dar muito mais valor aos ‘objectos’ do que aos próprios sentimentos !
    E eu digo: ‘Insensíveis, insensíveis e insensíveis !!’ Não sabemos dar valor ao que realmente é importante no nosso dia-a-dia’.
    É de tal maneira uma estupidez, que nem pensamos por vezes o mal que estamos a fazer aos outros só por apenas pensarmos em nós mesmos. Não! Isto não pode continuar assim, desta maneira tão frágil e que pode quebrar a qualquer momento.
    Por isso, vamos todos pensar, mas a pensar em nós, nos outros, emfim – em todos por conjunto inteiro.

    Beijinhos – e acredite que este espaço faz mesmo bem a qualquer pessoa.

    • 13 IM
      Outubro 6, 10 às 6:30 pm

      Olá, Catarina!!!
      Muito bem! Fico muito contente por já ver crescer os “meus pequenos filósofos”!! É com carinho e orgulho que digo isto!! Tenho expectativas altas para esta turma, vamos lá arregaçar as mangas!!!!

      «Continuo a sonhar, a ler as minhas fontes – a viver sorridente para o mundo . mas transparecendo por vezes uma dor bem amargurada dentro de mim, dentro da minha cabeça».
      Sabes,nunca conseguimos viver completamente sorridentes para o mundo, se bem que o devamos tentar…há demasiadas coisas erradas para isso, mas cabe-nos a nós alterar a tendência e, por outro lado, repara, a beleza vive de mãos dadas com a dor…pensa numa obra de arte, num poema, num belo texto…os grandes artistas foram sempre pessoas atormentadas…

      «Hoje, vejo tudo a dar muito mais valor aos ‘objectos’ do que aos próprios sentimentos !
      E eu digo: ‘Insensíveis, insensíveis e insensíveis !!’ Não sabemos dar valor ao que realmente é importante no nosso dia-a-dia’».
      Dizes bem…mas tu és diferente, podes sempre ser diferente…enquanto se vai dando valor ao que nada interessa, escoa-se-nos a vida por entre os dedos…

      Continua a pensar e nunca desistas de ser TU própria!…
      Daqui a pouco vou aqui colocar um desafio para os “meus pequenos filósofos”!!
      🙂

  8. 14 ANGEL
    Abril 7, 11 às 6:07 pm

    Na verdade pensar leva-nos por caminhos impossíveis de explicar. Pensar complica. Quando pensamos em algo que queremos fazer e não fazemos, ou em alguma coisa que fizemos e queríamos fazer melhor, deixamo-nos levar por um Mundo que nos deixa ausentes, tentanto convencer-nos de que afinal está certo o que fizemos. E depois alguém fala e damos a conhecida resposta: “O quê? Desculpa, não ouvi.”Pois. Como poderíamos ouvir se a nossa mente não está sequer perto do nosso corpo? Está longe, mesmo muito longe. Mas depois, a satisfação de nos lembrarmos que afinal estávamos errados quando ao que pensávamos vira completamente o nosso modo de estar. Somos invadidos por uma enorme satisfação, uma sensação de descanso, pronto, estamos realizados. E agora conhecêmo-nos muito melhor, porque pensámos. Reflectimos e encontrámos virtudes e coisas boas seja no que for, e descobrimos que afinal não era tão mau quanto isso. Ou ao contrário. É bom sentir. É bom pensar. Pensar dá-nos respostas e cria perguntas, as quais serão respondidas com mais pensamentos.
    ANGEL


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: